quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Análise Tática: BRASIL - A primeira “impressão” da nova seleção

01
Se a primeira impressão é a que fica, podemos criar boas expectativas para o desenvolvimento deste novo trabalho. Deve-se ter consciências que o tempo de treinamento foi curtíssimo, mas na grande maioria das oportunidades, o tempo de trabalho será assim. Dentre tantos motivos, este é o que mais dá embasamento para que as convocações sejam compostas pelos melhores jogadores. Isso facilita o entendimento a respeito do que o treinador pretende, facilita o entrosamento e, sem sombra de dúvidas, facilita o futebol bem jogado.
O principal elogio à Mano Menezes é ter convocado e ter enquadrado os jogadores dentro do seu pensamento de jogo. Não quero chamar de “Modelo de Jogo”, por ser um início de trabalho, mas com pouco tempo e muito talento, já foi possível ver um padrão de ações técnico-táticas e uma postura ofensiva e de posse de bola. Não sei o motivo, mas o jogo não foi transmitido em rede nacional e para os que não viram os gols, segue o vídeo abaixo:

Mano Menezes posicionou a equipe como da forma que pensei ser a melhor (VEJA AQUI O POST ANTERIOR), adequando os jogadores escalados, em um sistema que tenha equilíbrio defensivo e ofensivo (4-2-3-1) a qualidade dos melhores atletas convocados (e ainda atuando em posições em que estão acostumados). Como proposto no post anterior, o Brasil jogou posicionado num 4-2-3-1:
4-2-3-1 (1)Victor no Gol,
(2)Daniel Alves e (6)André Santos como laterais bem ofensivos,
(3)Thiago Silva e (4)David Luiz como dupla de zagueiro.
(8)Ramirez como volante mais posicionado do lado direito e com função maior na saída de bola e (5)Lucas que também saía para o jogo, mas tinha uma função importante de se posicionar na defesa liberando os dois laterais para o ataque.
(10)Ganso atuando como meia central, mas que pela alta mobilidade, recua para buscar bola e aproxima do Meia Extrema Direito e do Meia Extrema Esquerdo e no ataque, onde tentou finalizar de média distância.
(7)Robinho como Meia Extrema Direito e (11)Neymar como Meia Extrema Esquerdo, que jogam ofensivamente, aproximando do meio campo e chegando com velocidade e habilidade para as tentativas de gols. Lembrando que tem função defensiva importante, onde fazem o a marcação da saída de bola e a marcação no meio campo do adversário. Esses dois jogadores realizaram também inversões de posições entre si e com o Ganso. Atestando a alta mobilidade deste setor.
(9)Pato como atacante de referência, onde de acordo com o tipo de jogada empregada atuava de costas para o gol ou de frente para o gol (como no caso do gol que marcou). Defensivamente tinha grande importância, pois apesar de ser o “único atacante” pressionava a saída de bola e principalmente fazia muito bem o retardamento (recuo do atacante/meia no adversário que possui a posse da bola para roubar ou atrapalhar o avanço).02
Como esperado, a equipe brasileira entrou se esforçando para superar a barreira da falta de entrosamento, mas a técnica apurada falou mais alto e o domínio da partida veio rapidamente, perdurando até o apito final. Vimos uma equipe jogando ofensivamente, buscando e conseguindo o domínio das ações da partida por meio da manutenção e circulação da posse de bola, buscando espaços para as finalizações. O grande destaque foi o coletivo do Brasil, que assimilou os pedidos do treinador, e foi possível notar padrões táticos bem definidos, como a alternância de subidas para o ataque entre os volantes Ramirez e Lucas, as constantes ultrapassagens de André Santos pelo lado esquerdo, a aproximação de Robinho no meio, abrindo um corredor gigantesco para as subidas de Dani Alves, mesmo não estando em sua melhor forma, no lado direito.
03
O amistoso termina com saldo positivo, mas com um prognóstico de grande melhora, com o tempo de trabalho e maior quantidade de treinos, espera-se uma melhora de entrosamento dos atletas e do MODELO DE JOGO que o treinador apensas iniciou a implantar. Imagina-se que em próximas convocações apareçam caras novas, e em sua maioria caras jovens, pois neste primeiro momento, além de criar uma equipe-base para a seleção, Mano deve ter um pensamento forte para a formação de uma equipe para as Olimpíadas de Londres em 2012. Que ele consiga conciliar de tal forma que a equipe seja praticamente a mesma, possibilidade que é real em razão da boa safra de atletas jovens (mais uma vez). Estamos na torcida e continuaremos analisando o trabalho que se iniciou ontem.

Forte Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário