segunda-feira, 16 de agosto de 2010

ARSENAL: Primeiras impressões e Perspectivas

ARSENAL
O Arsenal é um clube que tem uma visão ampla do que é um gerenciamento técnico de uma equipe de futebol. Entre vários indícios que provam esta minha afirmativa estão a mais nova renovação de contrato do Técnico Arsene Wenger até 2014, mas principalmente a média de idade do plantel que disputará a temporada 2010/2011: 24,03 anos de idade! Mesmo sendo um plantel jovem, não deixa de ser um plantel experiente (onde inúmeros atletas são inclusive titulares de suas seleções), o que dá ao treinador muitas opções para montar sua equipe.



ANÁLISE
A bom plantel da equipe que terminou a temporada 2009-2010 em 3o lugar foi reforçada com duas contratações de jovens jogadores: o Zagueiro francês Koscielny e o atacante marroquino Chamakh. Neste jogo em que utilizei como análise o Arsenal, com alguns atletas no departamento médico e outros em busca da melhor forma física, atuou posicionado num 4-5-1 (4-1-4-1), como ilustrado no gráfico:
 WC_4-1-4-1
Defesa: A primeira linha formada pelos laterais SAGNA pela direita e CLICHY na esquerda (os dois com bom apoio e boa composição na defesa e no meio campo) além dos zagueiros KOSCIELNY (lado direito) e VERMAELEN (lado esquerdo).
Meio Campo: DIABY como volante postado à frente da zaga (com funções defensivas de cobrir a subida dos laterais), NASRI como “winger’” do lado esquerdo, WILSHERE na meia esquerda (voltando para buscar a bola), ARSHAVIM como meia-direita (com funções ofensivas e em muitas vezes sendo o 2o atacante) e EBOE como “winger” do lado direito (alternando com Wilshere no apoio e marcação no meio-campo).
Ataque: CHAMAKH como atacante de referência, a principio centralizado, mas com movimentações tanto para a direita quanto para esquerda.

O time do Arsenal, pela característica ofensiva e alta mobilidade dos jogadores do meio-campo, tem grandes variações ofensivas, com inúmeras trocas de posições entre os quatro meio-campistas da equipe, como vemos na imagem a seguir:
WC_4-2-3-1


Defensivamente, há uma alternância entre os laterais na marcação na linha defensiva e no meio campo. A mesma coisa acontece com os jogadores do meio-campo, onde principalmente Eboe, Wilshere e Nasri auxiliam na marcação e Arshavim ficando mais livre para ser referência do contra-ataque. Veja abaixo:
WC_POSICIONAMENTO DEFENSIVO






PERSPECTIVAS
Time jovem, ofensivo, habilidoso e estruturado. Fazendo comparação, eles seriam os “meninos da vila” da Inglaterra ou “meninos da Emirates arena”. Este time tem ganhado experiência ao longo de sua formação (que se iniciou após a “Era Henry”), e é possível que este ano seja a hora de colher o fruto do investimento feito nesta equipe. Se no ano passado alcançou o 3o lugar e a vaga na UEFA Champions League, este ano pode e deve almejar rendimentos mais altos. O técnico Arsene Wenger é capacitado e experiente para gerir este grupo da melhor forma, e a permanência de CESC FÁBREGAS para esta temporada mostra que o Arsenal tem grande ambições para este ano. Com o passar dos jogos e com o time adquirindo ritmo de jogo, os resultados virão, mas para isso acontecer deve-se finalizar com mais freqüência (o que não aconteceu na partida de estréia contra o Liverpool). Sem dúvida nenhuma, o Arsenal é uma equipe que dará prazer em acompanhar pelo grande potencial que tem, tanto para esta temporada quanto para temporadas futuras.



PROPOSTA DE ESCALAÇÃO “IDEAL”
Com um plantel repleto de ótimos jogadores, eu deixaria o aspecto cultural de lado (jogar com duas linhas de quatro jogadores) e armaria a equipe do arsenal jogando no 4-2-3-1, que teria um grande equilíbrio entre as organizações ofensivas e defensivas, podendo manter as viradas de bola, as subidas dos laterais, mas teria uma transição ofensiva de mais qualidade por meio de circulação de bola (principalmente com a entrada do brasileiro Denílson). Taticamente seria da seguinte forma:
WC_POSIÇÃO 1 Mantém-se a linha defensiva (1a linha), reforça o meio campo com a entrada de Denilson (que ajudará com apoios nas transições ofensivas). Fábregas como meio campo central, com os “meio-extramas” Arshavin pela esquerda e Nasri pela direita e com Van Pierse como atacante de referência. Note que os quatro homens de frente terão enorme mobilidade, com constantes trocas de posições entre eles.





GLAUBER CALDAS
Técnico de Futebol
Bacharel em Esporte (UEL-PR)
Pós-Graduado em Futebol (UFV-MG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário