sábado, 14 de agosto de 2010

MANCHESTER CITY: Primeiras impressões e Perspectivas

MANCHESTER CITY
Mais uma nova temporada se inicia, mais uma vez os “Citizens” investem milhões em contratações e mais uma vez escuta-se falar que a equipe do Manchester City deslanchará. Os torcedores devem se perguntar se será dessa vez que os milhões se transformarão em títulos e destaque mundial.


ANÁLISE
Pela estréia na Premier League 2010-2011 foi possível ver que ainda há muito trabalho a ser feito e muita coisa pra ser organizada antes de sonhar com títulos e destaque. Vimos uma equipe refém da adversária e que se o futebol fosse um esporte mais justo, teria perdido a partida de goleada para o Tottenham. Nesta estréia vimos um City posicionado num pouco efetivo 4-3-3:
pos 3
1a Linha (Defesa) composta pelos ofensivos RICHARDS na lateral direita e KOLAROV na lateral esquerda além dos bons zagueiros K. TOURE e KOMPANY.
2a Linha (Meio-Campo) formado por DE JONG, BARRY e YAYA TOURE, três atletas que são volantes e mesmo que Barry e Toure tivessem a função de armar jogadas, não possuem características necessárias para esta função, portanto os volantes atuaram como VOLANTES!
3a Linha (Ataque) com o DAVID SILVA como atacante pelo lado direito, WRIGHT-PHILLIPS como atacante pelo lado esquerdo e CARLITOS TEVEZ no centro do ataque.


Como dito anteriormente, os laterais tinham e tentavam exercer função ofensiva de apoio pelo corredor, mas pela necessidade de marcação, não tiveram sucesso na grande maioria dos apoios. Já o meio de campo estava muito bem compactado e estruturado na marcação (pelas características dos atletas) mas não criava praticamente nada, deixando os atacantes isoladíssimos. Desta forma só houve duas formas de ataque do Manchester City: o Jogadas Individuais (com inferioridade numérica) e o Contra-ataque (quando os três atacantes recuavam para buscar a bola e tentavam empregar velocidade).
Na necessidade de ter alguém buscando o jogo e armando, TEVEZ recuou e o desenho tático do City se tornou praticamente um 4-4-2 “Losango”:
WC_POSIÇÃO 4RICHARDS e KOLAROV tentando apoiar pela lateral, DE JONG como principal volante de marcação (praticamente não saía) BARRY atuando como 2o Volante do lado esquerdo e YAYA TOURE do lado direito (os dois tentando sair pro jogo sem sucesso), TEVEZ como um “pseudo-armador” e SILVA E PHILLIPS como atacantes bem abertos.



Dos times que jogaram hoje, o Manchester City é a equipe que menos podemos utilizar esta primeira rodada como base para o restante da temporada. Isto se dá pela agitada força econômica que o clube possui, contratando e dispensando/encaminhando atletas em grande quantidades. Portanto, apesar de me recusar a pensar que um treinador não utilizasse força máxima na primeira rodada da liga, o o City com certeza é um caso a parte.




PERSPECTIVAS
A promessa de temporadas passadas ainda se mantém e mais uma vez o poder de investimento não pode ser ignorado. E essa moeda (de ouro, cravejada com diamantes e banhada a petróleo) tem dois lados muito distintos. Se por um lado você pode contratar grandes atletas por valores altíssimos, por outro você só tem 11 vagas no time titular e vários atletas para mesma posição (a maioria atacantes). O erro cometido pelos galácticos do Real Madrid está sendo repetido pelo Sheik do Manchester City, e para se ter uma idéia veja quantos atacantes o time possui hoje: David Silva, Tevez, Wright-Phillips, Adebayor, Jô, Robinho (que deve se transferir novamente), Bellamy, Roque Santa Cruz, Nimelly e a última milhonária contratação do italiano Mário Balotteli (sem falar na eminente contratação de Ibrahimovic).
Portanto, só vejo possibilidade de êxito neste projeto do Manchester City, caso o técnico Roberto Mancini tenha respaldo da diretoria para trabalhar e contratar (o que não consigo perceber) e procure equilibrar o grupo, contratando de forma organizada. A maior necessidade que vejo é a contratação de um ou dois meio-campistas com características de ligação ofensiva, para que os atacantes não fiquem tão isolados. Quanto antes houver uma gerência de grupo dentro da equipe, mais rápido haverá uma estruturação e a organização de um modelo de jogo definitivo que possibilitará que permitirá o City brigar pelos títulos que tanto almeja.



PROPOSTA DE ESCALAÇÃO “IDEAL”
Proposta Apesar de não haver no elenco alguém que tenha características de meia-armador, eu melhoraria o meio campo atuando em um 4-2-3-1 bem definido, tendo dois laterais que apóiam relativamente bem, colocaria o recém contratado J. Boateng para ser o volante com função mais defensiva (sem perder o poder de passes no meio de campo), manteria Yaya Toure como o volante com função mais ofensiva. Testaria Tevez como o central no sistema, com David. Silva auxiliando pelo lado direito e Balotteli do lado direito (mas com a movimentação de atacante) e o atacante de referência seria Adebayor.






ATUALIZAÇÃO (18/Agosto/2010 -- 17:00)


Manchester City acaba de contratar o meio-campo James Milner, e pode ser o articulador que o City precisa para que haja uma conexão de qualidade entre os setores da equipe,e assim realmente fique uma equipecompetitiva para a disputa da temporada 2010-2011.

2 comentários:

  1. Glauber, uma outra hipotese de time ideal seria no lugar do Teves pelo meio a entrada do AURELIANO, jogador que na temporada passada fez essa função muito bem e com isso o argentino faria o lado esquerdo e se não aumentar o poder de marcação pelo menos dificultaria a saida de bola das equipes adversárias por esse lado e colocaria o SHOUT WRIGHT-PHILIPS na direita pelo mesmo motivo. Da uma analisada ae.......

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vc GG! Mas penso que a contratação Milner é a proposta de solução para este problema! E acho que sua proposta deverá mesmo ser utilizada! Temos que aguardar o que Mancini vai achar que se encaixa melhor e o que vai ser a equipe-base e o que vai ser uma variação!

    ResponderExcluir